Últimas Notícias
Família que ficou refém foi obrigada a transferir R$ 5 mil para os criminosos

Policiais militares do Batalhão de Choque durante a ocorrência (Foto: divulgação / PM)

Família que ficou refém foi obrigada a transferir R$ 5 mil para os criminosos

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

A família que ficou por cinco horas refém de assaltantes na Chácara Santa Bárbara, em Jaraguari, a 44 quilômetros de Campo Grande, na tarde de sábado (5), durante roubo de caminhonete, foi obrigada a transferir R$ 5 mil para conta dos bandidos. No total, cinco bandidos participaram diretamente do crime: um deles foi morto em confronto com a polícia, dois estão foragidos e duas mulheres foram presas.


Segundo o relato do homem de 47 anos, proprietário da chácara, por volta das 8h, o caseiro de 69 anos foi rendido por um dos criminosos armado. Ele e a sua mãe de 76 anos foram abordados por três homens em um Chevrolet Corsa logo depois, quando chegavam na propriedade com a caminhonete Toyota Hilux, de cor branca.

A vítima, a mãe e o caseiro ficaram reféns dos bandidos em cômodos diferentes da casa, enquanto um terceiro saiu dirigindo a caminhonete. Nesse tempo, os criminosos fizeram a vítima fazer uma transferência de R$ 5 mil para uma conta. No decorrer da manhã, uma dos reféns conseguiu fugir e acionar a Polícia Militar, que chegou à chácara por volta das 13h.

No momento, dois homens estavam mantendo a família refém e ao verem a viatura, fugiram entrando no matagal. Na fuga, o batalhão fez cerco à vegetação para realizar varredura e um dos assaltantes atirou contra os militares ao se sentir ameaçado. Os policiais revidaram e o atingiram. Ferido, o bandido, que ainda não foi identificado, foi levado para o posto 24 horas do Bairro Nova Bahia, mas não resistiu.

Dois homens envolvidos no crime conseguiram fugir. As duas mulheres que levavam a caminhonete roubada para a Bolívia foram presas na BR-163 pela PRF (Polícia Rodoviária Federal).  Na estrada, Janaina Saraiva da Costa, 28 anos, e Gleiciane Paiva de Carvalho, 38 anos, foram abordadas. Uma delas atuava como batedora e a outra dirigia o veículo. Elas já estavam na cidade de Miranda e foram identificadas pelos inspetores da PRF diante das características da PRF.

Segundo o comandante do Batalhão de Choque, major Rigoberto Rocha, o que chamou a atenção nesse caso foi os bandidos usarem as duas mulheres para levar o carro até o país vizinho. “A intenção era não chamar a atenção da polícia. Sabemos que tem mais gente envolvida. Todos eles são faccionados e têm passagem pela polícia”, disse. A polícia faz buscas para encontrar o restante da quadrilha. 

Fonte:C.G.News

.


Data: 07/03/2022