Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Share on google
Share on whatsapp

Canhotos de cheques achados na CLDF põem Agaciel Maia na mira da polícia

Investigadores da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) miraram no que viram, mas acertaram no que não viram. Ao cumprirem mandados de busca e apreensão na Câmara Legislativa (CLDF), na última quinta-feira (4/07/2019), os agentes procuravam evidências sobre fraudes em listas de ponto dos deputados, na investigação que tem como alvo principal o segundo-secretário da Casa, Robério Negreiros (PSD). No entanto, acabaram encontrando pistas de outra possível irregularidade, desta vez, envolvendo o distrital Agaciel Maia (PL).

Há suspeitas de que Robério tenha adulterado mais de 50 documentos de registro de presença. As falsificações, de acordo com a polícia, teriam contado com a ajuda do diretor-legislativo, Arlécio Alexandre Gazal. Por isso, os investigadores fizeram diligências nos gabinetes dos dois, entre outras salas. A ação ocorreu em apoio à operação deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT)

Em uma das gavetas da mesa de Gazal, na Diretoria Legislativa, localizada no quinto andar da CLDF, os policiais encontraram canhotos de cheques nominais a Agaciel. Somados, os valores chegam a R$ 300 mil. No local, também foi apreendido um contrato de compra e venda de uma casa, no litoral do Rio Grande do Norte, que seria de propriedade do distrital. De acordo com o documento, o imóvel foi repassado a Gazal em uma suposta transação envolvendo o pagamento de R$ 500 mil.

PolíticaApós quase um mês de licença por “estresse”, Robério volta à CLDFInvestigado pela polícia e pelo MPC-DF por ter assinado o ponto de presença enquanto estava nos EUA, deputado diz ser alvo de perseguição

Jornalista: Carlos Carone

Fonte: Metrópoles