Home Políciais Servidor da Câmara dos Deputados é preso pela PF

Servidor da Câmara dos Deputados é preso pela PF

0

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (6) a Operação Delivery, com o objetivo de prender pessoas investigadas há mais de um ano por tráfico de drogas na região central de Brasília.

 

Ao todo, 23 pessoas foram presas. Entre eles, está o secretário parlamentar Daniel Lourival Azevedo, servidor da Câmara dos Deputados, e a ex-estagiária da PGR (Procuradoria-Geral da República), Marcela Galdino.

 

Em nota, a Polícia afirma que o grupo de traficantes vendia drogas para servidores públicos de alta renda que trabalham na Esplanada dos Ministérios, sobretudo cocaína, inclusive em órgãos públicos federais.

 

Foram identificados 40 a 50 “clientes fiéis” da organização criminosa, que devem ser ouvidos pelos investigadores. De acordo com a Polícia, a droga fornecida era de alta qualidade, e os clientes são de “alto padrão”.

 

Segundo as investigações, o servidor Daniel Lourival seria o responsável por transportar a droga, utilizando um carro da Câmara Federal. Apesar do traficante ser lotado no gabinete do deputado Valadares Filho (PSB), a Polícia não acredita que o parlamentar tenha relação com o crime.

 

Já a ex-estagiária Marcela Galdino prestava “consultoria jurídica” ao grupo, informando das quantidades de droga que poderiam transportar sem que fosse configurado tráfico legalmente.

 

A Operação conta com 28 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão. As investigações apontam que as drogas vinham da Bolívia. Os membros do grupo podem responder por tráfico e associação, podendo pegar penas de 15 a 30 anos.

Fonte;Midiamax / Camapuã News /06/02/2018

 

Deixe Sua Opinião ! Aviso: As opiniões São de Inteira Responsabilidade dos Autores e não representam a opinião do site Bela Vista MSNEWS. É Vedada a inserção de comentários violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, apos identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.