Arquivo mensal janeiro 2018

Veículo para em muro de empresa após motorista passar mal ao volante

Um veículo bateu contra o muro de uma empresa depois que a motorista de 68 anos passou mal e perdeu o controle da direção. O acidente ocorreu na tarde desta terça-feira (16), por volta das 14h30, na avenida João Arinos, no bairro Flamboyant, em Campo Grande.

Conforme a Polícia Militar, a vítima foi identificada como Maria Glória. Segundo testemunhas ela é uma das gerentes da MS Gás e passou mal quando seguia na avenida no sentido centro/ bairro, próximo ao Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros).

O carro que ela conduzia um Chevrolet Spin subiu na calçada e só parou quando bateu no muro de uma empresa de locação de maquinários pesados. Com a batida, um buraco foi aberto na base do muro e o carro ficou com a frente danificada.

Já a motorista aparentemente não sofreu ferimentos, porém estava com perde de consciência e foi levada pelo Corpo de Bombeiros para uma unidade de saúde.

Fonte;CAMPO GRANDE NEWS – 16/01/2018

Promotor e esposa são encontrados mortos em casa na Barra da Tijuca

O promotor Marcus Vinicius da Costa Leite e a esposa, Luciana Alves, servidora do Ministério Público do Rio de Janeiro, foram encontrados mortos dentro de casa na manhã desta terça-feira (16). O imóvel fica localizado na Barra Tijuca, área nobre da zona oeste do Rio de Janeiro.

 

Segundo nota do MP, ambos foram vítimas de disparos por uma arma de fogo encontrada no local. Ainda não se sabe, no entanto, quais teriam sido as circunstâncias das mortes – não há sinais de arrombamento no apartamneto. O MP acredita que os fatos tenham ocorrido na madrugada de domingo para segunda-feira.

 

Marcus Vinicius trabalhava no Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (Gaesp) do MP-RJ.

Fonte;NOTÍCIAS AO MINUTO – 16/01/2018

Suspeito de matar ex-mulher na frente da filha é encontrado morto em SP

Suspeito de matar a ex-mulher a tiros na frente da filha, o ex-gerente de uma fábrica de celulose em Três Lagoas, Renato Bastos Ottoni, 65 anos, foi encontrado morto com um tiro na cabeça, na tarde de hoje, detro de um carro no município de Castilho, em São Paulo. Suspeita é que ele tenha cometido suícidio.

Segundo informações do site JP News, dois ciclistas que passaram pela estrada, em área rural, encontraram o veículo, perceberam que havia um corpo dentro e acionaram a Polícia Civil.

Delegada que investiga o caso, Letícia Móbis, da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) já havia acionado as forças de segurança de São Paulo e do Rio de Janeiro para auxiliar na procura, pois havia suspeita de que ele pudesse fugir para estes estados.

A delegada fou até a propriedade e confirmou que o corpo é do ex-gerente. Familiares da vítima de feminícidio também reconheceram o suspeito.

Principal hipótese da polícia é de que Ottoni foi até a propriedade rural logo depois de matar a ex-mulher e cometeu suicídio. No entanto, caso está sob investigação.

O CRIME

Halley estava na cozinha da cozinha da casa onde vivia com as filhas, no bairro Santa Júlia, quando Ottoni chegou ao local e atirou três vezes contra ela. Vítima foi atinfgida nas costa, nuca e pescoço, na frente da filha adolescente.

Casal estava separado desde setembro e o ex-gerente não aceitava o fim do relacionamento. Crime teria sido motivado por ciúmes.

Segundo informou a delegada, ele pediu demissão da indústria de celulose no ano passado e não é descartada a hipótese de que tenha se desligado da empresa porque estava premeditando o assassinato, pois, a época, eles já estavam se desentendendo.

Fonte;Correio do Estado/16/01/2018

Promotoria pede na Justiça afastamentro de prefeito de Ribas do Rio Pardo do cargo

O Ministério Público Estadual aguarda decisão do Poder Judicário sobre pedido de improbidade administrativa contra o atual prefeito de Ribas do Rio Pardo, Paulo Cesar Lima Silveira (PMDB), e bloqueio de seus bens e de outros dois funcionários públicos, que também responderão pedido de afastamento.

Segundo a denúncia apresentada no ano passado pelo promotor George Zarour Cézar, há indícios da influência do ex-prefeito Roberson Luiz Moureira, que geriu a cidade entre 2009 e 2012 pelo PPS, não só na atual gestão, como também na contratação de uma empresa de Maringá (PR) que seria especializada em realizar licitações.

Acontece que a própria empresa foi contratada pela prefeitura sem passar por processo licitatório, com indícios de que se trata de favor ao ex-prefeito.

“A opção por contratar a empresa feriu os princípios constitucionais da isonomia e da impessoalidade”, apontou Cézar.

Ainda de acordo com a denúncia, desde a contrratação da empresa, 541 funcionários comissionados foram contratados, sendo que há pessoas aprovadas em concurso público realizado em 2015 e que a vigência foi prorrogada.

É pedido liminarmente a decretação de sequestro de bens e valores e indisponibilidade de bens dos demandados que alcança valor de quase R$ 1,1 milhão.

Também foi ajuizada uma segunda ação civil pública de obrigação de fazer contra o município de Ribas do Rio Pardo, especialmente em relação ao cargo de professores de educação básica.

Procurado pelo Correio do Estado, Silveira não retornou as ligações feitas. Em depoimento, ele alegou que “precisava aperfeiçoar os sistemasde licitação e não tinha conhecimento na área, por isso aceitou indicações.” A promotoria respondeu à reportagem que só se manifestará após a Justiça divulgar sua decisão.

Fonte;Correio do Estado/16/01/2018

Viatura do IML se envolve em acidente e corpo continua sendo velado no asfalto

Os familiares do jovem Carlos Ramon Dias Del Antônio, de 18 anos, morto em um latrocínio na noite de segunda-feira (15), em Colombo, terão que esperar ainda mais, mais que as mais de 12 horas que se passaram desde a morte do rapaz, para que o Instituo Médico Legal (IML), recolha o corpo.

É que não bastasse os inúmeros problemas que ocorreram desde a noite passada, a viatura que finalmente seguia para recolher o corpo do jovem se envolveu em um acidente. A batida foi registrada na estrada Nova de Colombo, em frente ao Cemitério do Santa Cândia, segundo a Sala de Imprensa da Polícia Militar. Não há informações sobre feridos, mas tanto a viatura, quanto a moto, ficaram bastante danificadas.

Fonte;Massa News/16/01/2018

80 mil doses de vacina contra febre amarela estão disponíveis

Embora Mato Grosso do Sul não tenha nenhum caso confirmado de febre amarela, a Secretaria de Saúde recomenda a imunização de todos que não tomaram a vacina. 80 mil doses estão disponíveis para a população.

 

A vacinação é recomendada para maiores de 9 meses e menores de 60 anos. Antigamente, era preciso tomar a vacina a cada dez anos. Agora, basta receber uma dose para ficar imunizado durante toda a vida.

 

Devido ao número de doses, não foi necessário implantar a vacinação fracionada, como acontece na Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. A gerente técnica de doenças endêmicas, Livia de Mello Almeida Maziero, explica que “as doses são suficientes. Boa parte da população já foi imunizada e todos os municípios que solicitaram foram abastecidos”.

 

Febre Amarela

A doença é transmitida por um mosquito, que pica pessoas e macacos. Os sintomas da doença são febre, dor de cabeça, náusea,amarelamento da pele, dores no corpo, calafrio, perda de apetite, olhos amarelados e sangramento.

 

Primatas

Em 2017, seis macacos foram encontrados mortos em Mato Grosso do Sul, mas os resultados foram negativos para a doença. Dois primatas foram encontrados em Campo Grande, dois em Corumbá, um em Dourados e um em Ladário.

 

A gerente técnica de zoonoses da Secretaria Estadual de Saúde, Stephanie Lins, orienta que no caso de encontrar um primata morto, não se deve mexer no animal.

 

São Paulo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar todo o estado de São Paulo como área de risco de febre amarela, nesta terça-feira (16).  Foram confirmadas 21 mortes pela doença desde janeiro de 2017. A recomendação é tomar a vacina para todos os viajantes que vão para qualquer cidade paulista.

Esthéfanie Vila Maior
Capital News/16/01/2018

 

Assaltantes batem durante fuga e abandonam veículo roubado

O Batalhão de Choque da Polícia Militar de Campo Grande recuperou por volta das 17h30 de ontem, automóvel Chevrolet Agile que havia sido roubado momentos antes em um escritório de telemarketing localizado na região do Jardim Leblon. Os três suspeitos bateram o veículo perto de uma ponte na entrada do Bairro Dom Antônio Barbosa e fugiram a pé, levando R$ 3 mil em dinheiro, celulares e corrente de ouro.

Conforme relatado, duas mulheres, de 36 e 41 anos, se preparavam para sair do local de trabalho quando os três criminosos, dois deles armados com revólver, chegaram a pé e anunciaram o roubo. Eles renderam as vítimas e pediram para que elas abrissem o escritório, uma vez que tinham interesse em levar as TVs Smart que estavam no local. Uma das mulheres então abriu a gaveta e deu aproximadamente R$ 1 mil e o celular.

Em seguida, pegaram R$ 2 mil da outra vítima,  o celular, uma corrente ouro, os documentos pessoais e o carro, fugindo na sequência. Um dos bandidos era moreno, de média estatura, magro, de bigode, usava bermuda jeans e calçava chinelos. O outro era branco, forte, estatura média, aparentava ser jovem, vestia camiseta cinza e também usava chinelo. O terceiro indíviduo, as vítimas não conseguiram descrever, mas disseram que estava de camiseta verde e bermuda jeans.

Uma equipe do canil do Choque que fazia policiamento na região do Jardim Centenário já havia sido informada sobre o roubo quando se deparou com os ladrões, dando início à perseguição até a Rua Evenilna Selingardi, onde os ladrões conseguiram se distanciar. Eles bateram em uma barranco no mato e fugiram. Os policiais chegaram a fazer buscas pela região, mas nenhum dos criminosos foi encontrado. O caso foi encaminhado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga.

Fonte;CORREIO DO ESTADO – 16/01/2018

GOVERNADOR DO MS QUER FECHAR AS FRONTEIRAS COM BOLÍVIA E PARAGUAI SUPOSTAMENTE PARA COMBATER NARCOTRÁFICO

Diante dos prejuízos causados pelo tráfico de drogas ao Estado, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), defendeu o fechamento das fronteiras com a Bolívia e o Paraguai para evitar a entrada de entorpecentes e armas no país, em artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo na terça-feira (16).

O governador do PSDB afirma que o Estado gasta R$ 127,3 milhões ao ano com presos pelo tráfico e que a construção de presídios não é uma “solução definitiva”. “Nossas fronteiras estão escancaradas, potencializando Mato Grosso do Sul como corredor do narcotráfico. Os altos índices de crimes não resultam só no estrangulamento do sistema carcerário, mas contribuem também para a hipertrofia do sistema judiciário”, argumenta.

Diante disso, Reinaldo propõe “atacar o problema em sua raiz”, com o fechamento das fronteiras. “Coibir a entrada de drogas por nossas fronteiras é muito mais eficaz do que mobilizar as forças de segurança para a apreensão nos centros consumidores”

De acordo com o chefe do Executivo estadual, em seis anos, de 2012 a 2017, as apreensões de drogas realizadas pela Polícia Militar, Polícia Civil e o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) do Estado saltaram de 87 toneladas para 427 toneladas. Para ele, o esforço para combater o tráfico impede que os policiais estejam nos municípios para proteger a população.

“Se todos os policiais deslocados para vigiar as fronteiras estivessem nas ruas das cidades, certamente as estatísticas de furtos, roubos e homicídios não seriam tão alarmantes”, defende. O chefe do Executivo também aponta que as prisões dos envolvidos com tráfico causam superlotação nos presídios do Estado.

“De outro, o número de presos, incluindo sentenciados por tráfico de armas e outros crimes transnacionais, chegou a 7.246, elevando a população carcerária para 16.224 presos, cumprindo pena em um sistema com capacidade para 7.327 condenados. Cerca de 40% dos presos custeados pelo Estado foram sentenciados por crimes federais”, diz Reinaldo.

“Não há dúvida de que o Brasil precisa de nova política de segurança pública, buscar uma estratégia que possa quebrar os elos da criminalidade, compreendendo que os custos de manutenção da atual massa carcerária, em apenas sete meses, seriam suficientes para construir um novo presídio. É preciso haver ações sociais. Não temos dúvida de que a solução está em reduzir a criminalidade e impedir que a droga e a arma atravessem nossas fronteiras”, conclui.
Fonte http://www.midiamax.com.br/16/01/2018

Jovem com suspeita de febre amarela tem morte cerebral

O jovem Luiz Fernando Valente Rodrigues, de 17 anos, teve morte cerebral na manhã de hoje (15), no Hospital São Francisco na Providência de Deus, no Rio de Janeiro. Ele deu entrada no hospital na noite da última quinta-feira (12) com suspeita de febre amarela, mas desenvolveu um quadro de hepatite fulminante.

 

A equipe médica chegou a conseguir um fígado e um jato da Força Aérea Brasileira para fazer o transplante do órgão, mas o paciente teve uma piora no quadro de saúde na madrugada de hoje o que impossibilitou a cirurgia.

 

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, Luiz Fernando teve sangramento cerebral, o que causou um dano irreversível no órgão.

Fonte;Agência Brasil / Camapuã News/15/01/2018

Justiça barra tentativa de cassar mandato de vereador

A Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul negou o pedido do suplente Eduardo Cury (SD) para que o mandato do vereador Lucas de Lima (SD) fosse cassado por ter sido condenado a um ano e quatro meses de prisão, convertidos em serviços sociais, por apropriação indébita e cujo trâmite foi dado como transitado em julgado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

 

Cury, que é suplente de Lucas de Lima na Câmara Municipal de Campo Grande, entrou com uma petição na 44ª Zona Eleitoral de Campo Grande, na semana passada, com diversas solicitações, entre as quais as principais são que fosse declarada a cassação do mandato e que o presidente do Legislativo da Capital fosse intimado a declarar vago o cargo e suspendesse imediatamente os ganhos do parlamentar.

 

O juiz eleitoral substituto Olivar Augusto Roberti Coneglian, porém, negou todos os pedidos, em despacho assinado nesta segunda-feira (15), conforme apurado pelo Jornal Midiamax e confirmado pela defesa do Lucas de Lima.

 

“Ele negou tudo. A sentença é um pouco complexa, embora o juiz tenha deixado bem claro que a 44ª Zona eleitoral é responsável pelo cadastramento dos candidatos, e entendeu que o que foi alegado não é cabível, pois a competência dele é limitada tendo em vista que se resume a ações cujos prazos já se transcorreram e não seria mais cabível”, explica o advogado Jeyan Carlo Xavier.

 

Atualmente, a defesa de Lucas de Lima trabalha com recurso em andamento para dar como prescrito o tempo do processo que levou à condenação do radialista, pois a sentença já tem mais de quatro anos. Ademais, ressalta que Lucas foi eleito com 4.256 votos, cerca de 1.100 na frente do suplente.

 

Na Legislatura passada, Eduardo Cury herdou a vaga na Câmara após Paulo Pedra (PDT) ter sido cassado por compra de votos. Em 2016, mesmo com 3.161 votos, sendo o 18º colocado no pleito, Cury ficou de fora por não ter obtido o coeficiente eleitoral suficiente e acabou caindo para a 30ª posição, ficando assim como primeiro suplente da coligação do partido Solidariedade.

 

O Caso

 

​Radialista e ex-sócio de uma pizzaria, Luiz Carlos Correio de Lima, o Lucas de Lima, como é mais conhecido, foi condenado em 2012 pela 5ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande a um ano e quatro meses de prisão, que foram convertidos na prestação de serviços comunitários.

 

O vereador era fiel depositário da Justiça do Trabalho em Campo Grande e utilizou bens da pizzaria para o pagamento de dívidas indevidamente, o que gerou o processo por apropriação indevida. À Justiça, o radialista famoso pelo programa ‘Amor Sem Fim’, confessou ter cometido a infração, mas alegou que não houve dolo, ou seja, não foi intencional.

 

Lucas de Lima recorreu ao Tribunal Regional da 3ª Região, em São Paulo, onde os desembargadores mantiveram a sentença contra o parlamentar, publicada em fevereiro de 2016. O próximo passo foi recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), cuja apelação foi rejeitada pelo ministro Antonio Saldanha Palheiro, em meados do ano passado, e publicada em dezembro.

Fonte;Midiamax / Camapuã News/15/01/2018