Para esconder traição e estupro, ajudante de fazenda matou garota a pedradas no Tijuca

Com frieza e sem demonstrar arrependimento, o ajudante de fazenda Felipe Castro Souza, de 23 anos, contou em depoimento que assassinou a pedradas a adolescente de 15 anos, no Jardim Tijuca, no dia 29 de maio, depois da garota ameaçar contar sobre a traição à namorada do ajudante de fazenda.

A delegada da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) Fernanda Félix disse que Felipe foi encontrado 48 horas depois do crime pela polícia em uma fazenda em Terenos, onde trabalha como ajudante.

Quando preso, ele não teria esboçado nenhuma reação, dizendo que já esperava pela chegada da polícia. Durante o depoimento feito à delegada, Felipe disse que conheceu a vítima em uma festa na casa de amigos no mesmo bairro.

Durante a festa todos ingeriram bebidas alcoólicas e ele ainda teria consumido drogas na casa. Na versão que apresentou à polícia, ele disse que os dois saíram do local de bicicleta e foram até o matagal, onde o corpo foi encontrado, e lá mantiveram relações sexuais.

Segundo o ajudante, o sexo teria sido consensual, mas a polícia não acredita nesta versão.

Após o ato sexual, a garota teria dito ao autor que ela queria que namorassem e que, se ele recusasse, iria procurar a namorada dele para contar sobre a traição. Ainda segundo o depoimento do ajudante de fazenda, a adolescente teria dito a ele que era portadora do vírus HIV.

Enfurecido, o autor disse que asfixiou a vítima e em seguida deu pedradas na sua cabeça, deixando seu rosto desfigurado. Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que os dois deixam a casa.

As imagens e mais o boné do autor deixado no local do crime ajudaram em sua identificação e localização. Ele será indiciado por feminícidio qualificado por motivo torpe que dificultou a defesa da vítima e estupro.

 

Fonte;Midiamax/

 

 

 

 

 

Deixe Sua Opinião ! Aviso: As opiniões São de Inteira Responsabilidade dos Autores e não representam a opinião do site Bela Vista MSNEWS. É Vedada a inserção de comentários violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, apos identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *