22/06/2021

A condenação do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi mantida pelo

A condenação do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), foi mantida pelo desembargador João Pedro Gebran Neto, do TRF 4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), por corrupção e lavagem de dinheiro. Os recursos ajuizados pela defesa do petista foram rejeitados de forma integral. O julgamento ocorre neste momento em Porto Alegre.

Foi determinado por Gebran, relator do precesso, 12 anos e 1 mês de reclusão e 280 dias de multa. Ele alegou que é possível “afirmar com certeza” que houve crimes de corrupção ativa e passiva e “não há margens para dúvidas” da “intensa ação dolosa” do ex-presidente Lula no esquema de propinas da Petrobras.

Falou, ainda, que há provas “acima de dúvida razoável” de que o apartamento triplex “estava destinado a Lula como vantagem”.

Avaliou que os outros réus condenados buscavam não apenas o enriquecimento pessoal, mas também dinheiro para financiamento de campanhas. E completou, falando que os cofres dos partidos foram “recheados” com dinheiro ilegal, comprometendo o processo eleitoral.

O juiz Sergio Moro, em julho do ano passado, havia condenado Lula a 9 anos e 6 meses pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. No entanto a dosimetria dependerá de outros dois juízes. Para confirmar a condenação, ao menos um dos outros dois desembargadores terá que votar com o relator.

(Com informações do Folha de São Paulo e G1)-Fonte;MidiaMax/24/01/2018