24/07/2021

Agricultor é picado por cobra jararaca

 

Um agricultor foi picado por uma cobra na quarta-feira (12) na zona rural de Chopinzinho. Ele estava manuseando fenos, quando o réptil o picou na região da perna esquerda.

O fato foi registrado na comunidade de Bugre Alto. O homem identificado como Gilberto Forlin Ricardo de 52 anos está internado em uma casa hospitalar na cidade de Chopinzinho.

O homem recebeu 3 ampolas de soro antiofídico no momento que chegou na unidade e durante a tarde de hoje recebeu mais nove ampolas. A suspeita é que a cobra que picou o homem seja uma Jararaca. (Fonte: Catve)

jararaca (Bothrops jararaca) é uma serpente venenosa (Ordem Squamata) que pertence à família Viperidae (Subfamília Crotalinae) e pode ser encontrada no Brasil nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia em ambientes de Mata AtlânticaCerrado e áreas antrópicas ─ mais comum em áreas rurais perto de plantações, mas também podem aparecer em áreas periurbanas.

Possui um padrão de escamas bem caracterizada por desenhos dorsais em “V” invertido escuros bem destacados, orlados de cores mais claras, corpo delgado tendo em media 120 cm de comprimento. Há variação nas cores ao longo de sua distribuição geográfica, com indivíduos apresentando tons cinza, pardo-esverdeados, amarelados e marrons. Geralmente o ventre é claro com manchas irregulares. A jararaca é ativa durante a maior parte do ano e as fêmeas tendem a serem maiores e mais pesadas do que os machos da espécie.

A jararaca possui hábitos predominantemente terrestres, podendo apresentar hábitos arborícolas, principalmente os juvenis. O grau de locomoção da jararaca é baixo, se movimentando pouco sobre o substrato. Possui atividade crepuscular e noturna sendo mais intensa na estação chuvosa. Os juvenis de Bothrops jararaca têm a dieta composta principalmente de anfíbios anuros, enquanto os adultos alimentam-se basicamente de roedores e ocasionalmente de lagartos. As serpentes juvenis fazem uso de sua cauda de cor amarela clara para atrair suas presas em potencial, enquanto que as adultas utilizam a tática do bote para caçar.

As fêmeas são vivíparas, produzindo cerca de doze a 18 filhotes por vez e os nascimentos ocorrem na estação das chuvas.

Fonte:Catve

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter