24/06/2021

Após cinco anos deputados mantém veto de Puccineli

De acordo com alguns deputados estaduais a sessão desta quarta-feira (14) foi considerada inédita pelos parlamentares. Isso porque além de os deputados terem rejeitado veto do governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), em que inclusive a base aliada votou contra o parecer do jurídico do Executivo Estadual, em matéria que exige a permanência de dentistas em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), teve até projeto de lei do ex-governador André Puccineli de cinco anos atrás sendo votado.

Após cinco anos, parlamentares votaram apenas hoje pela permanência do veto emitido pelo então governador do Estado, André Puccineli (MDB) em projeto de lei do também, há época, deputado estadual e atual prefeito Marcos Tard (PSD) que dispõe sobre o pagamento de meia entrada às pessoas residentes no Estado de Mato Grosso do Sul, nos passeios turísticos realizados durante período determinado.

O deputado Paulo Siufi (MDB) criticou a análise do veto ter ocorrido depois de “tanto tempo”. “Um veto do ex-governador, quem sabe futuro governador. É muito estranho. Voto a favor da queda do veto”, disse o emedebista.

O deputado do PEN, Lídio Lopes lamentou a não aprovação do projeto pela Casa de Leis e disse que em Bonito, apenas o balneário municipal que oferece descontos para moradores do município e que muitos nascidos na cidade não conhecem alguns locais turísticos devido os altos custos dos passeios.

Apesar da Comissão de Contituição Justiça e Redação (CCJR) ter rejeitado o veto do ex-governador, parlamentares não seguiram a direção do jurídico da Casa e a restrição de Puccineli foi mantida com nove votos contrários e oito a favor da rejeição do veto.

Fonte;Correio do Estado/14/03/2018