Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Share on google
Share on whatsapp

Aras se manifesta contra pedido para apreender celular de Bolsonaro

Augusto Aras diz que cabe apenas à PGR investigação de autoridades com foro perante o Supremo

O procurador-geral da República, Augusto Aras, emitiu ontem ao Supremo parecer contra o pedido de apreensão do celular de Jair Bolsonaro feito pelo PDT, PSB e PV encaminhado ao STF, argumentando que cabe à PGR, e não a partidos políticos, qualquer investigação relacionada ao presidente. “Tratando-se de investigação em face de autoridades titulares de foro por prerrogativa de função perante o Supremo Tribunal Federal, como corolário da titularidade da ação penal pública, cabe ao Procurador-Geral da República o pedido de abertura de inquérito, bem como a indicação das diligências investigativas, sem prejuízo do acompanhamento de todo o seu trâmite por todos os cidadãos”, escreveu. O pedido dos partidos encaminhado à análise da PGR pelo ministro Celso de Mello, do STF, levou o general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) a emitir uma nota em tom de ameaça (leia aqui) dizendo que uma possível apreensão do celular de Bolsonaro poderia ter “consequências imprevisíveis”.

(Com Agência Brasil)