18/10/2021

Briga de prefeitos sobre distribuição da Janssen é inócua, diz Azambuja

Azambuja ainda deixa claro que quem dita a distribuição de vacinas é o Ministério e não os Estados.

Com a distribuição da Janssen para 13 municípios fronteiriços para realização do estudo Vebra Covid-19, alguns prefeitos se demonstraram descontentes com a logística de repasse. No entanto, na visão do governador Reinaldo Azambuja é algo sem fundamento.

“Eu acho que isso faz parte de uma discussão, ao meu ver, inócua. Isso é um ganho do MS e acho que inócua questão essa sendo debatida por alguns prefeitos. A discussão é do Ministério, ele quem disponibiliza como vacinas, não foi uma escolha do MS “, disse Azambuja, durante Visita Técnica em obra de subestação de Campo Grande.

Azambuja ainda deixa claro que quem dita a distribuição de vacinas é o Ministério e não os Estados.

“O Ministério da Saúde que disponibilizou 165,5 mil doses, pois entendem que criando uma base de experimento na fronteira, terá uma condição de fazer um levantamento maior da eficácia da vacinação de Janssen, na fronteira onde se tem uma população muito migrante” , explica.

Estudo

Vebra Covid-19 é um estudo de vacinação em massa na fronteira de Mato Grosso do Sul com a Bolívia e o Paraguai, que vai resultar na imunidade coletiva contra Covid-19 em 13 cidades do Estado já neste mês. O experimento é comandado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A aplicação das 165,5 mil vacinas da Janssen, de dose única, começou na sexta-feira (2). Já um dia antes, na última quinta-feira (1 °), o Estado oficialmente 207.050 doses de Janssen.

Deste total, 165,5 mil doses foram sentidas à Mundo Novo; Japorã; Sete Quedas; Paranhos; Coronel Sapucaia; Aral Moreira; Ponta Porã; Antônio João; Bela Vista; Caracol; Porto Murtinho; Corumbá e Ladário.

As outras 41,5 mil excluídas distribuídas entre 66 municípios.

Igualdade

Com isso na mesma sexta-feira em que foi iniciado a vacinação em massa, a Prefeitura de Campo Grande entrou com um pedido ao Ministério Público de Mato Grosso do Sul para que a Capital também tinha direito como 165,5 mil doses da Janssen.

Nenhum protocolo realizado, uma questão de prefeitura sobre os critérios do Governo do Estado para direcionar essas doses para o estudo na fronteira, não qual, disponibiliza 80% dessas doses para os 13 municípios e deixa apenas 20% aos 66 restantes.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, mostra contra a posição do prefeito de Campo Grande, Marcos Trad.

“Neste momento, ele está errando e errando redondamente, errando na política quando ele coloca a população do interior contra seu pleito, e errando também na condução da pandemia quando ele, ao efetuar, de orientar pela ciência, tem orientado por aqueles que visam o lucro “, ressalta.

No documento, a prefeitura também acusa o Governo do Estado de violação ao princípio da Proporcionalidade e Razoabilidade.

Fonte: Correio do Estado

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter