21/01/2022

Lava Jato investiga fraudes na exportação de pedras preciosas

A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira (4) cinco mandados de prisão em um desdobramento da Operação Câmbio Desligo, no Rio de Janeiro e na Bahia. A operação não tem ligação direta com políticos ou agentes públicos.

 

 

 

Segundo o Bom Dia Brasil, as investigações desta fase da Lava Jato têm como base as delações dos doleiros Vinícius Claret, conhecido como Juca Bala, e Cláudio Fernando Barbosa, o Tony. Ambos foram presos sob suspeita de envolvimento no esquema de corrupção do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

 

 

Agora, o Ministério Público Federal (MPF) apura um esquema que usa pedras preciosas para a prática de evasão de divisas e sonegação fiscal. A empresa Comércio de Pedras O S Ledo é investigada por exportar pedras preciosas, principalmente esmeraldas, para países como Índia e China. De acordo com o MPF, a companhia compra as pedras na cidade de Campo Formoso, no interior da Bahia.

 

 

Ainda segundo as investigações a companhia movimentou 44 milhões de reais junto ao doleiro Dario Messer, que está foragido. A suspeita dos procuradores da Lava Jato é que o preço declarado pela venda dos minerais era subfaturado. Eles apuram se a diferença dos valores seria pago por empresas estrangeiras e transferido para operadores ligados ao doleiro.

Fonte;VEJA – 04/09/2018