18/10/2021

Líder: MT avalia corrigir defasagem de ao menos 3 categorias

O deputado estadual Dilmar Dal'Bosco, o chefe da Casa Civil Mauro Carvalho e o governador Mauro Mendes

O Governo do Estado se comprometeu nesta semana a estudar formas de corrigir a defasagem salarial de algumas categorias de servidores públicos, cujas remunerações não sofrem correções há dez anos.

 

O acordo foi selado em reunião entre o líder do Governo na Assembleia Legislativa, Dilmar Dal’Bosco (DEM), e outros parlamentares da base com os secretários Basílio Bezerra (Planejamento) e Mauro Carvalho (Casa Civil).

 

A reunião ocorreu após emendas ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO 2022), apresentadas por deputados que representam algumas categorias do funcionalismo, serem rejeitadas.

“Nós falamos que fica difícil acatar essas emendas na LDO, mas também sabemos que algumas categorias não são contempladas desde 2010 para cá”, reconheceu Dilmar.

 

“Então, a Casa Civil fez a abertura para atender, conversar com essas categorias e fazer um estudo de possibilidade ou de viabilidade futura”, explicou.

 

Conforme o líder do Governo, os maiores problemas a serem enfrentados são quanto aos salários dos servidores do Socioeducativo, Polícia Penal e Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

 

De acordo com Dilmar, uma nova reunião sobre o assunto deve ocorrer em outubro e é preciso fazer a análise com responsabilidade, não se deixando levar apenas pelo bom momento orçamentário do Estado.

 

“O secretário de Planejamento do Estado de Mato Grosso já está conversando com todos os sindicatos, todas as categorias. Tem que prever tudo, você não pode avançar além do seu limite”, disse.

 

Segundo o parlamentar, apesar da evolução na arrecadação e o agronegócio estar segurando a economia, não há segurança de que a curva se mantenha positiva.

 

“Nós tivemos muita dificuldade em governos anteriores que não tiveram gestão, que não se preocuparam com o futuro do Estado de Mato Grosso”, disse.

 

“Mas a preocupação é essa, de que pode vir um momento ruim. Hoje está na bonança, mas isso não significa que ali na frente não vamos ter problema. Pode vir um momento ruim da agricultura, que é o grande arrecadador do Estado de Mato Grosso”, ponderou.

Fonte:MidiaNews

 

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter