18/09/2021

Menino que nasceu sem braços e uma perna precisa de ajuda

Com apenas 1 ano e dois meses, o menino Rhyshard Rhafael Lima já enfrenta duras batalhas e muito ainda esta por vir. Ele nasceu sem os dois braços, com apenas uma das pernas e uma série de outros problemas de saúde que lhe impõem a necessidade de, pelo menos, sete cirurgias de risco, dentre as quais duas na cabeça. Apesar das dificuldades, o pequeno campo-grandense demonstra ser uma criança alegre, ativa, criativa e apaixonada por cães e futebol.

Segundo a mãe, Taynara Aparecida Gomes, de 23 anos, Rhyshard nasceu com hidrocefalia, macrocrania, epilepsia e tórax assimétrico. Além disso, desenvolveu hérnia umbilical, hérnia inguinal, fimose e testículos fora da bolsa. “Quem o vê nestas condições, não imagina o quanto é brincalhão. Ele não consegue andar normalmente, mas deu um jeito e rola por aí, joga bola,  brinca muito e se Deus quiser terá um grande futuro pela frente”, disse.

Apesar das expectativas da família para o futuro, o presente preocupa. O custo para manter a qualidade de vida do menino é alto. Somente com leite e suplementos alimentares são pelo menos R$ 3.300 por mês.

Também faz consultas mensais particulares com neurologista e cardiologista, já que não há tempo para esperar vaga no Sistema Único de Saúde (SUS). “Se somarmos tudo, dá mais de R$ 4 mil com esse básico, sem falar alimentação e roupas”.

Taynara relata que compra suplementos pela internet porque é mais barato. Ela tem outro filho pequeno e alega ter sido abandonada pelo pai de Rhyshard logo que ele nasceu. No entanto, hoje conta com apoio do atual marido, Weverton da Costa Azevedo, de 25 anos, que trabalha como entregador em um supermercado. “Ele [Weverton] cuida do Rhyshard como se fosse seu próprio filho e me ajuda de todas as formas. Sem ele não conseguiria”.

A renda da família vem do trabalho de Weverton e dos doces caseiros feitos por Taynara. “Eu vendo na rua, todos os dias saio com Rhyshard para vender. Ele é meu companheiro”. Para arcar com o restante das despesas, recebe doações. O objetivo da família neste momento é arrecadar fundos para que ele passe pelas sete cirurgias avaliadas em R$ 28 mil. “Não podemos esperar a idade mínima do SUS, temos que fazer particular logo”.

Para conseguir dinheiro o suficiente, Taynara organiza um “carreteiro dançante” que vai acontecer no próximo dia 23 de setembro, na Colônia Paraguaia no Bairro Pioneiros. O convite antecipado será de R$ 15 e na hora por R$ 20. Todo o valor da festa será destinado às cirurgias do menino. No entanto, a mãe espera que a comunidade ajude a tornar a festa possível, doando alimentos como arroz, carnes e saladas. “Ficar muito agradecida”.

Interessados em ajudar podem entrar em contato com Taynara por meio do telefone: (67) 9 9258-6788.

Fonte;Correio do Estado/06/09/2018

Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter