22/06/2021

O Brasil já é o segundo país, depois do Peru, com mais óbitos entre jornalistas nesta pandemia.

De acordo com a Fenaj, até o dia 16 de janeiro, houve 71 mortes de jornalistas brasileiros, com crescimento da curva de óbitos a partir de novembro.

Em Mato Grosso do Sul, sete não resistiram à doença desde dezembro.

A atividade já está incluída como essencial em um decreto federal e em normas estaduais.

Precisamos preservar quem corre riscos para que a verdade chegue a todos nós.