01/12/2021

Perigoso integrante de facção criminosa é preso; homem teria participação em roubos a bancos

Celio Afonso da Silva, de 42 anos, conhecido como “Coelho” e integrante de uma facção criminosa que atua dentro e fora de presídios, foi preso na segunda-feira (26) suspeito de ser um dos principais articuladores dos assaltos a bancos e carros-fortes registrados nos Campos Gerais neste ano.

A prisão foi realizada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), e o homem foi apresentado pela Polícia Civil nesta terça-feira (27). Silva é investigado pela participação no planejamento e execução no roubo de pelo menos cinco carros-fortes, que resultaram na morte de dois motoristas e um suspeito, em fevereiro, nos Campos Gerais, e também nas explosões a agências bancárias em Palmeira e Pitanga, em março.

Perigoso integrante de facção criminosa é preso com armas e drogas

(Foto: Márcio Barros/ Rede Massa) (Foto: Márcio Barros/ Rede Massa) (Foto: Márcio Barros/ Rede Massa) (Foto: Márcio Barros/ Rede Massa) (Foto: Márcio Barros/ Rede Massa) (Foto: Márcio Barros/ Rede Massa)

(Foto: Márcio Barros/ Rede Massa)

Desde 2007, Coelho já foi preso quatro vezes, uma das últimas pelo Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre) da Polícia Civil, pelo sequestro do gerente de um banco, em Matinhos, porém estava foragido desde que foi arrebatado da Penitenciária Estadual de Piraquara (Pep), em janeiro de 2017.

Além de possuir dois mandados de prisão em aberto, Silva responde por mais de 30 processos por tráfico de drogas, associação para o tráfico, homicídio, roubo, organização criminosa, porte ilegal de arma de fogo e uso de documentos falsos, e sua condenação chega a 34 anos de prisão. Ele também foi reconhecido como um dos integrantes de um assalto em Balsa Nova, quando a família de um gerente de banco foi sequestrada, e de uma tentativa de roubo a um banco em Ortigueira, ambos em 2017.

A polícia chegou até o criminoso após uma ação de sua quadrilha no início do ano, em Guaraqueçaba, no litoral do Paraná. Durante o crime, Coelho perdeu um celular, o que levou a equipe até ele. Em outra ocasião, o homem foi abordado pela Polícia Militar e conseguiu fugir, mas sua esposa foi presa, o que adiantou as investigações.

Além de integrar a quadrilha de roubos a bancos e carros-fortes, Coelho também atuava no tráfico de drogas, em Curitiba, e teria envolvimento no assassinato de dois homens e uma mulher na Vila Bracatinga, no bairro Pilarzinho, devido a uma disputa por pontos de vendas de entorpecentes. Um dos mortos, Misael Teodoro da Luz, teve o corpo retirado do túmulo, arrastrado nu e jogado do outro lado do muro no Cemitério do Boqueirão. A suspeita é de que o corpo seria levado até um ponto da cidade e colocado como aviso para outros traficantes.

Atualização

Na sexta-feira (23), no bairro Tanguá, em Almirante Tamandaré, cinco pessoas foram presas suspeitas de integrar a quadrilha com armas, drogas, coletes balísticos, radiocomunicadores, um carro, e cerca de R$ 34 mil em dinheiro. De acordo com o delegado Rodrigo Brown, a partir dessas prisões a equipe policial conseguiu informações de que Coelho estaria escondido em uma residência em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Através de buscas e campanas, a polícia conseguiu realizar a prisão do suspeito na região, que estava com documentos falsos.

Fonte;Rede Massa/28/03/2018