30/11/2021

Quatro dias depois, homem é preso por atacar mãe com bebê e levar carro

Foi preso por volta das 5h deste sábado (25), no Bairro Aero Rancho, o suspeito de levar o Hyundai HB20 de uma mulher, de 37 anos, que estava com o filho de 7 meses, quando chegava em casa no bairro Rita Vieira, em Campo Grande, na terça-feira (21). Identificado como Felipe Paiva, de 20 anos, o jovem afirma que recebeu ordens do Presídio de Segurança Máxima.

A Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos) já tinha pedido a prisão do envolvido e equipe do Batalhão de Choque da Polícia Militar cumpriu o mandado nesta madrugada.

Aos militares, Felipe afirmou que a ordem partiu de um detento, identificado como Dyonathan Coutinho da Silva, de 23 anos, conhecido como “Jhony”. Segundo o suspeito, a vítima foi seguida desde a avenida Manoel da Costa Lima até o bairro Rita Vieira.

 

Segundo o delegado Christian Duarte Mollinedo, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, Felipe ficará detido em uma das celas da unidade, até que a escolta o leve para o presídio.

O carro foi localizado horas depois na casa de uma mulher, na Rua Ouro Preto, no Bairro São Conrado. Os dois bandidos que cometeram o crime ainda não foram identificados, nem presos. Objetos pessoais da vítima, como bolsa, um aparelho celular, cartão de banco e documentos, também foram levados e recuperados.

Prisão – Débora Cristina dos Santos, de 39 anos, estava no imóvel no momento em que uma equipe da Polícia Militar chegou ao local. Os policiais chegaram até a residência após rastrearem o celular da vítima.

Presa em flagrante por receptação, a mulher contou que um homem havia deixado o carro em sua casa, a pedido do seu namorado, Dyonathan Coutinho da Silva, 23 anos, conhecido como Jhony, que está preso no Presídio de Segurança Máxima. Ela afirmou ainda que o namorado entrou em contato por telefone e que não conhece o homem que foi em sua casa.

 

Débora passou por audiência de custódia, nesta quinta-feira (23), e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva. O caso foi atendido por policiais do Batalhão de Choque e GOI (Grupo de Operações e Investigações) e registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga.

Fonte;