Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email
Share on google
Share on whatsapp

Senado aprova em 1º turno PEC que adia eleições para 15 de novembro

Leopoldo Silva/Agência Senado Sala de controle da Secretaria de Tecnologia da Informação durante sessão do Senado

O Senado aprovou nesta 3ª feira (23.jun.2020), em 1º turno, a PEC (proposta de emenda à Constituição) que adia as eleições municipais de 4 de outubro para 15 de novembro. O placar final da votação foi de 67 votos a 8, com dias abstenções. Eram necessários ao menos 49 votos favoráveis para aprovar o texto. Ainda falta o 2º turno e a votação de destaques –trechos analisados separadamente.

O relator da matéria, Weverton (PDT-MA), também adiou por 40 dias –mesmo tempo do pleito– todos os prazos relacionados às eleições. Prazos que já venceram, entretanto, não serão alterados. Leia a íntegra (164 KB) da proposta apresentada por 27 senadores.

O adiamento das eleições é discutido por causa da pandemia da covid-19. Há o temor de que aglomerações causadas pelo processo eleitoral, na campanha e na votação, facilitem a disseminação do novo coronavírus. Depois de finalizada a análise dos senadores, o texto segue para a Câmara dos Deputados.

O adiamento terá mais dificuldade para avançar entre deputados que entre senadores. Quando ficou claro que prorrogar mandatos era uma hipótese fora de cogitação, prefeitos que tentarão se reeleger passaram a fazer forte pressão sobre a Câmara para derrubar o projeto.

A ideia é que o 1º turno passe de 4 de outubro para 15 de novembro e que o 2º mude de 25 de outubro para 29 de novembro. Assim, seria possível manter a posse dos eleitos em 1º de janeiro. Como os atuais prefeitos têm as máquinas municipais na mão e são, em geral, mais conhecidos que os potenciais adversários, levam vantagem se o pleito for realizado o mais cedo possível.

Fonte:Notícias